fbpx

Aprender como empreender em momentos de LGPD é muito importante, pois permite começar do modo certo. No entanto, essa informação não deve ser vista de modo negativa por aquelas pessoas que já tem um negócio.

Se a gestão ainda não sabe o que fazer com a Lei Geral de Proteção de Dados, basta apenas readequar-se. Bem como, nenhum gestor nasce sabendo e a melhor alternativa disponível é prestar atenção nesses detalhes.

O texto tem a proposta de mostrar que empreender em momentos de LGPD é possível e depende apenas de você. Dessa forma, confira a seguir algumas dicas para que os resultados aconteçam dentro de pouco tempo.

Afinal, como empreender em momentos de LGPD e ter bons resultados em cada mudança realizada?

Para ter condição de empreender em momentos de LGPD, como citado acima, é preciso, primeiramente, ter essa vontade. Logo após, é preciso colocar em prática e ter paciência, pois o processo deve ser bem criterioso.

Muitos gestores acham que o processo pode ser feito da “noite para o dia”, mas a realidade é que demanda muito cuidado. É preciso conhecer as cinco atitudes essenciais para que você possa empreender e da maneira correta.

1- Captar: A informação é o bem mais precioso atualmente

Em primeiro lugar, a informação se tornou o bem mais precioso atual e acredite: vale mais do que ouro. Ao mesmo tempo, imagine o que valor que tem a informação sobre o trajeto de um carregamento de diamantes?

Guardada as devidas proporções e tendo atenção nos processos, a realidade é que a captação de dados é inerente a LGPD. Ou seja, é preciso que seja claro e o público deve saber exatamente aquilo que irá acontecer.

Por exemplo: deixe o seu e-mail aqui e recebe um ebook gratuito sobre como organizar a sua rotina de estudos. Essa informação é crucial para empreender em momentos de LGPD e de um modo bastante sustentável.

O processo de captação deve estar atrelado ao que a LGPD exige e lembre-se: ficar de fora disso é perigoso. Os riscos são grandes e podem gerar punições, multas e a perda da imagem, o que não é nada positivo.

2- Armazenar: A segurança é uma premissa básica

Imagine que você captou um dado e deseja armazenar, porque vai utilizá-lo para tentar vender um curso sobre concursos públicos. Da mesma forma, é preciso que o armazenamento seja realizado de uma forma bem positiva. 

A segurança, como citado acima, é uma premissa básica e deve estar presente, acima de qualquer outra coisa. Portanto, é necessário que você tenha um nível elevado de proteção e que deixe os dados bem protegidos.

Um dos maiores riscos é fugir disso e acabar vazando dados, afinal já aconteceu com o Facebook e gerou polêmica. O criador teve que se explicar e o Facebook é uma empresa grande, imagine o cenário para as menores?

Empreender em momentos de LGPD depende de que você armazene os dados de uma forma com muita segurança inclusa. Logo após, é possível passar para os próximos passos e fazer com que funcione cada vez melhor.

3- Proteger: A proposta da LGPD é manter os dados “resguardados”

É primordial, à primeira vista, prestar atenção em um único detalhe: a segurança da informação é a grande busca atual. Juntamente com esse fato, as guerras atuais não são mais físicas, e sim com muita espionagem digital.

Lembra quando Edward Snowden se tornou um dos homens mais procurados pelos Estados Unidos, por ter vazado dados de espionagem americana? Então, ele precisou ficar escondido pelo mundo e deflagou algo muito comum.

Para empreender em momentos de LGPD, não se esqueça de proteger aqueles dados que você captou e armazenou. Ou seja, a partir do momento em que estão sob sua responsabilidade, é preciso que você os proteja.

A melhor opção disponível é investir em segurança da informação e em sistemas que se mostrem seguros contra ataques virtuais. Enquanto você lê esse texto, alguém deixa um dado na internet e o principal é saber disso.

4- Utilizar: Respeite o que a LGPD prega

A Lei Geral de Proteção de Dados é bastante clara e indica como que os dados utilizados devem ser usados com ética. Para demonstrar a importância que esse fato tem, confira a seguir um exemplo sobre como o processo acontece:

  • Primeiramente, o cliente deixou o e-mail dele no seu site e receberia em troca um ebook sobre como perder peso em 21 dias;
  • Em seguida, você segue a sua sequência de e-mails e não obtém o retorno esperado, fazendo com que a conversão não aconteça;
  • Malandramente, você decide pegar o e-mail e enviar de um outro site, tentando vender o mesmo produto e mudando apenas o nome;
  • Esse cenário é perigoso e pode gerar punição, multa e a perda da imagem da empresa, impactando negativamente o seu negócio.

Certamente que empreender em momentos de LGPD depende de ter atenção nos pontos citados acima. Ainda mais atualmente, já que a tecnologia é avançada, é primordial seguir o que a Lei Geral de Proteção de Dados prega.

5- Excluir: Nem todo dado fica armazenado para sempre

Se você captou, armazenou, protegeu e utilizou os dados, concorda que uma hora será preciso excluir o dado? Do mesmo modo, é preciso que seja realizado com ética e da maneira correta, ou seja, com ciência do público.

Aquele velho pensamento de deixar guardado e entrar em contato anos depois, não é nada positivo e deve ser evitado. Afinal, há grande problema nisso e se trata de correr o risco de acabar sendo processo, inclusive.

Para evitar essa situação, busque ter ética na hora de excluir o dado e pronto: basta passar a próxima etapa. Com o tempo e tendo boas atitudes, a chance de se tornar um processo automático é maior e mais positivo para o gestor.

Se você deseja empreender em momentos de LGPD, lembre-se de colocar tudo em prática e prove os melhores resultados. Por fim, acredite no seu potencial e busque auxilio profissional para seguir a LGPD com mas eficiência.