fbpx

Descobrir como iniciar um novo negócio já atendendo as necessidades da LGPD é muito importante. Afinal, o bem mais precioso que existe atualmente são os dados e acredite: vale mais do que o petróleo mais valioso do mundo.

O mundo passou por uma verdadeira revolução nas últimas décadas e tratar um dado passou a ser essencial. Bem como, a internet tornou as relações diferentes e a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) surge para regular isso.

O foco geral do texto é mostrar como iniciar um novo negócio já atendendo as necessidades da LGPD. Dessa forma, confira a seguir todas as informações para que você comece da maneira certa.

Como é possível iniciar um novo negócio já atendendo as necessidades da LGPD?

Em primeiro lugar, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) ainda está em fase de implementação no Brasil. No entanto, é primordial se preparar e estar dentro daquilo que será praticado dentro de pouco tempo.

A ideia principal da LGPD é proteger os cidadãos brasileiros e os dados que são tratados pelas instituições. Vale lembrar que não está incluso apenas os dados pessoais digitais de empresas digitais e vai muito além disso.

Para evitar maiores problemas e iniciar um negócio atendendo as necessidades da LGPD, é preciso muito pouco. Dessa forma, confira a seguir algumas dicas para que você possa implementar do modo correto.

Entenda o funcionamento da LGPD

Primeiramente, o objetivo é resguardar as informações pessoais e que tem caráter sensível. Lembra quando o Facebook se envolveu em uma polêmica e foi acusado de vazar dados de 50 milhões de usuários?

Então, isso ressaltou a importância de existir a LGPD e que englobasse todas as empresas que tratassem dados do Brasil. Ao mesmo tempo, a Agência Nacional de Proteção de Dados visa justamente permitir essa proteção.

Para se adequar a nova lei e montar um negócio já atendendo as necessidades da LGPD é necessário seguir o que essa agência prega. A ideia é evitar que maiores problemas aconteçam e prejudique a sua empresa.

Faça a análise e o estudo dos princípios da LGPD

O grande balizador do processo será a LGPD e lembre-se: é por meio dela que dá para saber os pontos passíveis de atendimento legal. Por outro lado, desconhecê-lo é altamente perigoso e pode prejudicar a implementação.

Se as novas regras não forem seguidas, como você sabe, a chance de enfrentar problemas é considerável. Sendo assim, é preciso conhecer o que é preciso e aquilo que aplica-se ao negócio em questão.

Saber quais são os princípios básicos e, também, o modo de funcionamento para captar, armazenar e utilizar os dados é fundamental. Muito do sucesso da sua estratégia depende diretamente de ter atenção nessa questão.

Invista em capacitação sua e dos demais colaboradores

De nada adianta apenas se preparar e deixar de lado as outras partes que compõem o negócio em questão. Ou seja, é primordial criar uma cultura de atendimento e que esteja atrelada aos processos inerentes ao processo.

Ao investir em estudo para você, sem deixar os lados os demais colaboradores, a tendência natural é que funcione melhor. Do mesmo modo, é possível estar protegido contra erros normais e que podem acontecer.

Vale ressaltar um ponto: a justiça não quer saber e nem punir o autor do erro, mas sim a própria empresa. Para evitar maiores problemas, é melhor estar preparado e pronto para lidar com todos os dados inerentes.

Faça um mapeamento dos dados

Adequar-se, antes de mais nada, a própria Lei Geral de Proteção de Dados é fundamental, concorda comigo!? Entretanto, é necessário que você conheça os dados que são tratados e as tarefas pertinentes a cada departamento.

É comum que mudanças sejam necessárias no começo e os processos internos para permitir uma melhor organização depende disso. Portanto, para ter mais visibilidade das informações é preciso atentar-se a esse fator.

Por exemplo: dentro de uma relação entre cliente e fornecedor, como você sabe, é preciso tratar dados pessoais. Até mesmo na hora de contratar um novo colaborador, é primordial saber como proceder em dado por dado.

Descubra as bases legais da LGPD e suas respectivas aplicações

As bases legais são as principais hipóteses que a lei prevê para permitir que os tratados pessoais sejam tratados nessas possibilidades. Igualmente, são 10 bases legais e é importante entender cada uma delas, não é mesmo!?

Cada tratamento de dados pessoais deve ser identificado e estará associado a alguma base legal. Contudo, o seu negócio pode estar agindo de maneira ilegal e não é positivo, porque pode oferecer vários tipos de problemas.

Um bom exemplo disso é o consentimento, ou seja, o titular do dado concorda em passar o dado para uma empresa. Pode ser para uma compra ou mesmo qualquer outra situação e lembre-se: ele consentiu de passar esses dados.

Reforce a sua política de segurança

Certamente que a política de segurança é um ponto essencial para captar e proteger os dados pessoais. Juntamente com essa atitude, é importante que seja explicativa e os termos precisam ser públicos.

O público deve saber como os dados foram capturados e a finalidade inerente a cada tipo de uso. Em seguida, quem tem o acesso e quanto tempo será retido, incluindo a eliminação depois desse período.

Quando o usuário for chamado a fornecer esses dados, é preciso que você ser colocados à sua disposição. Essa é a maneira mais transparente de lidar com a situação e mostrar as mudanças aos seus colaboradores.

Defina quem será o encarregado de proteger os dados

Por fim, é necessário que você defina o encarregado de dados e também aquele que receberá as reclamações, comunicações e que dará os esclarecimentos, citando as providências e as funções posteriores.

Lembre-se de deixar a identidade e as informações de contato do encarregado da proteção de dados público. Sempre de maneira objetiva, clara e visível, porque é o que te resguarda judicialmente de maiores problemas.

O mais importante é começar um negócio necessidades da LGPD e estando dentro daquilo que a lei exige. Enfim, é melhor previver e estar de acordo, do que acabar remediando e gerando um grande retrabalho.